A inovação não é ainda um driver de procura global do setor de grande consumo em Portugal, conclui o estudo “Avaliação do Impacto Económico da Inovação no setor dos Fast Moving Consumer Goods”.

O estudo realizado em parceria pela consultora KPMG e pela Kantar Worldpanel para a Centromarca, Associação Portuguesa das Empresas de Produtos de Marca, revela que o setor está mais focado no preço do que na inovação.

Um total de 76% das inovações aplicadas no setor do grande consumo em Portugal falham logo no ano de lançamento, revela o estudo. “A inovação tem tido impacto no grande consumo, e consequentemente na economia nacional”, comenta Nuno Fernandes Thomaz, presidente da Centromarca, alertando, no entanto, que a inovação “não tem ocorrido em grau suficiente nem demonstrado capacidade de gerar uma influência decisiva no desempenho dos produtos”.

O estudo explica que a aposta em inovação apresenta riscos. “Exige das marcas do setor um investimento de 4% das suas receitas em novos produtos e o envolvimento de 6% dos seus colaboradores neste tipo de processo”.

Os iogurtes, os produtos para cabelo e os refrigerantes sem gás são as categorias onde as marcas têm apresentado inovação com bons resultados, revela a mesma fonte.

HiperSuper, Por  a 12 de Outubro de 2018 as 11:49