O plano de negócios é a base para a estruturação de uma nova ideia de negócios. Deve focar-se nas directrizes essenciais do projecto, definir a alocação dos diversos recursos, ser concebido para concretizar a ideia que se pretende implementar e solucionar eventuais problemas. Saiba como elaborar um plano de negócios para a sua empresa.

A sua estrutura inclui:

  • Sumário Executivo
    Este é o segmento mais importante de um plano de negócios. É a primeira coisa a ser lida pelos seus potenciais investidores e se não for claro, pode desencorajar os analistas de rever o seu plano por completo. Deve sumarizar todo o projeto no máximo de 500 palavras. Os pontos essenciais a focar neste capítulo são:
    – Qual o nome do seu negócio e a sua área de actividade?
    – Qual a sua missão?
    – Qual o seu objetcivo de negócio e o seu mercado potencial?
    – Qual a sua Proposta Única de Valor?
    – Quais os recursos necessários?
    – Qual o prazo previsto para apresentar lucros?
    – Quais os pontos fortes e fracos do seu projecto?
    – Quais as suas referências e a sua experiência?
  • Histórico da Empresa e/ou Fundadores
    Os pontos mais importantes a apresentar são:
    – Como surgiu a sua empresa, o seu projecto e a sua inserção na empresa?
    – Como vai a experiência dos seus empresários contribuir para o projecto?
    – Quais os pontos fortes e fracos do projecto na óptica dos seus fundadores?

Deve ainda incluir-se a missão, que é a declaração dos objectivos gerais da empresa.

  • O Mercado
    Local onde os planos da empresa serão levados a cabo. É muito importante definir o mercado para os seus novos produtos em termos de dimensão, estado de desenvolvimento, tipos de clientes e concorrência. A análise de mercado é essencial para dois efeitos:
    – Fundamentar a viabilidade base da ideia/produto em causa.
    – Traduzir o conhecimento específico dos fundadores sobre o mesmo.
  • Ideia e Posicionamento no Mercado
    O objectivo é dar confiança aos seus potenciais investidores. Essencialmente, o avaliador tentará compreender a capacidade de transformar a nova ideia em vendas. Qualquer parceiro/financiador tem de avaliar primordialmente três aspectos não financeiros da ideia:
    – O produto/serviço e o seu mercado;
    – Recursos físicos e de produção necessários;
    – Capacidade de gestão do negócio;
  • O Projecto/Produto/Serviço
    Deve começar pela descrição, de uma forma curta mas completa, do estado de desenvolvimento do projecto, sobretudo dos principais objectivos. Deve referir a motivação e os objectivos intervenientes no processo, os pontos críticos no desenvolvimento do projecto, quais os esforços para a tecnologia envolvida, explicar a Proposta Única de Valor e a sua produção, que pode implicar compromissos significativos com o investimento de capital. Em anexo nesta secção deve ser incluída a resposta às seguintes questões:
    – A produção será feita por si mesmo ou irá subcontratar?
    – Quais os equipamentos necessários e qual o seu custo?
    – Existe uma definição clara do processo de produção e dos custos associados?
    – Qual a quantidade de matéria-prima que tem de ser adquirida e armazenada?
    – Qual o tempo de entrega após a ordem de compra?
  • Estratégia Comercial
    O primeiro passo essencial é o estabelecimento do preço. Os elementos chave deste tipo de estratégia incluem:
    – Identificação dos seus potenciais clientes;
    – Criação de segmentos de clientes-alvo;
    – Escolha dos seus canais diretcos ou indirectos;
    – Desenvolvimento dos seus elementos visuais e de comunicação;
    – Desenvolvimento da sua Estratégia de Vendas;
    – Criação e Formação da sua Força de Vendas;
    – Identificação das suas acções de Marketing relevantes.
  • Gestão e Controlo do Negócio
    As três áreas fundamentais, onde o controlo é imprescindível, são:
    – Vendas;
    – Produção;
    – Informação Financeira.

Actualmente, existem soluções de software que asseguram uma gestão adequada de todo o ciclo (CRM). Deve também criar relatórios para analisar custos, eficiência, rapidez, qualidade de produção, o tempo necessário para produzir componentes individuais, taxas de desperdício, taxa de produção de cada máquina e custos com materiais e energia. Alguns elementos fundamentais do ponto de vista financeiro são:
– Que tipo de contabilista e contabilidade irá escolher;
– Que tipo de controlo de informação irá produzir e com que frequência;
– Que outro tipo de controlo do negócio irá implementar (produção, pessoal, qualidade, ambiental, etc.);
– Que sistemas de informação irá utilizar.

  • Investimento Necessário
    Em termos gerais, as principais opções disponíveis são as participações no Capital da Empresa (pelos produtores ou entidades terceiras como as entidades de Capital de Risco) ou o financiamento com Capital Alheio, que pode revestir várias formas de dívida: emissões obrigacionistas, empréstimos a curto e longo prazo, etc.
  • Projecções Financeiras
    As projecções financeiras básicas são: Vendas (base fundamental da componente quantitativa do seu plano de negócios), Projecções de Cash-Flow (estimativa da posição líquida de Tesouraria da Empresa numa base mensal que possibilita o cruzamento entre as entradas de fundos, vindas das Vendas e as Despesas previsíveis) e Rentabilidade/Break-Even (demonstra quando o valor das receitas é igual à soma dos custos fixos com os custos variáveis).

Fonte: “Guia Explicativo para a criação do Plano de Negócios e do seu Modelo Financeiro”, IAPMEI, I.P. Abril 2016

Ilustração: Querer Além

Imagem de Gerd Altmann no Pixabay