O termo “modelo de negócios”, ou Business Model Generation, foi debatido durante muitos anos. A sua definição passa por descrever a lógica de criação, entrega e captura de valor de uma organização.

Em 2008, o consultor suíço Alexander Osterwalder desenvolveu a sua tese de doutoramento com base na definição concreta deste termo e compreendeu que era necessário criar algo que incentivasse a inovação, a co-criação e a prototização. Então, em conjunto com mais 200 consultores de todo o mundo, criou o modelo de negócio Canvas.

O Canvas é um modelo que permite visualizar tudo o que é relevante para o seu negócio numa única página. Está dividido em 9 áreas dentro de um quadro e ajuda a compreender a estratégia do seu negócio podendo projectar diferentes cenários para as suas ideias de negócio. Estas 9 áreas são:

SEGMENTAÇÃO DE CLIENTES 

O primeiro passo no desenvolvimento de um modelo de negócios é o espaço dos segmentos de clientes. Para tal, é necessária a compreensão do termo “segmento”, que se resume na definição de um nicho de clientes, e a garantia de que tudo está a ser desenvolvido na perspectiva do seu cliente.

OFERTA DE VALOR 

Entende-se “valor”, neste caso, por “benefício”, sendo fundamental explicitar bem quais os benefícios que os seus produtos/serviços oferecem aos seus clientes. A determinação deste parâmetro ajuda a que se analise o seu negócio face à sua concorrência.

CANAIS 

Aqui são descritos os caminhos através dos quais a sua empresa comunica e entrega valor aos seus clientes. Estes podem ser canais de comunicação, vendas e/ou distribuição de produtos e serve para que o segmento definido anteriormente conheça e avalie a proposta de valor, efectue a compra e utilize o produto. Neste bloco, conseguimos compreender a importância do posicionamento estratégico num modelo de negócios.

RELACIONAMENTO 

A definição de boas estratégias de relacionamento é essencial para a retenção de clientes. Este envolvimento com o cliente gera um maior destaque da sua empresa e uma maior rentabilidade para o seu negócio, uma vez que os seus clientes se sentem mais próximos da sua marca.

FLUXO DE RECEITAS 

Aqui é apresentado como o seu cliente pagará pelos benefícios que ofereceu. Existe uma série de modelos que poderá utilizar, apenas tem de decidir qual o mais adequado ao seu negócio. Por exemplo venda de produtos/serviços, assinaturas, licenças, leilão, entre outros.

RECURSOS-CHAVE 

Activos fundamentais para fazer o seu modelo de negócios funcionar. Alguns exemplos de recursos são: activos físicos, como máquinas ou instalações, e activos intelectuais, como patentes, recursos humanos, programadores ou atendimento.

ACTIVIDADES-CHAVE 

Devem ser apresentadas quais as actividades que devem ser realizadas de forma constante para que o seu negócio funcione. Alguns exemplos de actividades-chave são: produção de bens, resolução de problemas, gestão de plataformas, vendas consultivas, desenvolvimento de produtos, entre outros.

PARCERIAS-CHAVE 

Refere-se primordialmente aos seus fornecedores. Lista outras empresas que ajudam o seu negócio a entregar valor ao seu cliente, assim como todas as tarefas ou matérias-primas utilizadas para a concretização do mesmo.

ESTRUTURA DE CUSTOS 

Por último, é necessária a descrição dos principais custos que têm peso financeiro e são derivados da operacionalização do modelo de negócio. Devem ter origem nos recursos-chave, actividades-chave e parcerias-chave. Por vezes é possível que os custos de canais também sejam considerados.

Business Model Generation

Fonte: Pereira. Daniela, O Analista de Modelos de Negócios

Ilustração: Querer Além

Imagem de Arek Socha no Pixabay